ESTAÇÕES NO CAMINHO

Rudi Böhm nasceu em 1947, em Viena, Áustria, se formou em indústria gráfica. A influência de seu pai, tipógrafo, aquarelista e um homem que fazia tudo, deixou profundas marcas em sua trajetória.     


A primeira viagem fora da Áustria foi uma visita ao estúdio de animação do artista checo Jiri Trnka. Conhecer o artista e seu trabalho direcionou o menino de 18 anos.

Entrou na Academia de Arte Aplicada - Akademie für Angewandte Kunst - e estudou ilustração, desenho industrial e photo-grafik.

Fez fotografia, programação visual, cenografia teatral,  ilustrações e entrou no departamento de artes da televisão austríaca ORF. Aprendeu a fazer cinema com Toni Zögel e Ferry Ungerer com uma câmera de animação Oxberry.

Em 1970, montou uma agência  de propaganda e logo depois conheceu Hans Donner, que  propôs uma parceria para fazer a programação visual para TV Globo no Brasil.


A convite de Boni, trabalhou por vários anos na Globo, criando e executando em 35mm as aberturas de novelas e vinhetas  da emissora. Neste período, foi por diversas vezes a New York e a Hollywood para produzir e finalizar vinhetas, que renderam um Clio e um Emmy para a programação visual da emissora em 1975. Durante estas estadias conheceu Lou Dorfsman, célebre diretor de artes da CBS, e o designer Milton Glaser, que influenciaram o futuro trabalho de um modo essencial.


No início dos anos 80, desligou-se da Globo e montou com Luiz Leitão e Stefan Wohl uma empresa de cinema especializada em finalização de filmes em película, a Ilimitada Ltda, onde realizou mais de 400 trabalhos entre finalização, criação de aberturas, trailers, cartazes e efeitos para longas-metragens.

​​

Paralelamente ao trabalho de cinema, continuou no universo da televisão e foi responsável por inúmeras  logomarcas e programações visuais em várias emissoras do Brasil, desde os anos 2000 até hoje. Começou com a criação da programação visual da TV Escola, dedicou vários anos à direção geral do núcleo de artes da TV Cultura de São Paulo e, mais tarde, na TV Bahia e TV Brasil.

Além disso, Rudi Böhm também dirige documentários, DVD's, escreve livros para crianças, planta árvores, alho poró e cenouras; fabrica brinquedos para a pré-escola no sítio e algumas vezes mata um javali ou uma ovelha para fazer festa com os amigos.